sábado, 3 de setembro de 2016

ROBERTINHO DE RECIFE: TRANSCENDENDO O PATAMAR DA GENIALIDADE

Se você me pedisse como definir Robertinho de Recife, eu responderia: Midas.  E por uma razão muito simples – onde este músico excepcional coloca sua mão (leia-se talento) com certeza virá um projeto grandioso e vitorioso. Simplesmente o maior guitarrista do Brasil. Um gigante da música brasileira, respeitado dentro e fora do País, e que há muito transcendeu os patamares da genialidade. Musicalidade genuína na acepção da palavra, e que trafegou em sua brilhante  carreira da sonoridade lúdica ao heavy metal. Robertinho de Recife gentilmente atendeu ao ColoradoHeavyMetal, e a partir de agora você que navega em nossas páginas poderá saber as novidades da volta do Metalmania e outros aspectos marcantes da carreira deste grande músico/produtor.


1-Robertinho, nosso blog em 2015 publicou uma matéria nostálgica sobre o Metalmania, e eis que você  presenteia a todos seus fãs com um retorno avassalador (quem esteve no Sesc Belenzinho-SP em 06/8 que o diga). O que foi determinante para esta volta?
RR: Muito obrigado pela matéria, parabéns, ficou muito boa, fico muito feliz em ter esse carinho e respeito de vocês com nosso trabalho.

2-Você manteve o grande Lucky Leminski no vocal, e revigorou de forma letal seu poderio de fogo com o Rob Khalil no baixo (tocando uma enormidade e quebrando tudo em Ace of Spades), a Isa Nielsen(Detonator & As Musas do Metal) como sua companheira de guitarra reforçando a imagem de personalidade que a mesma transmite e a entrada recente do batera Naciffe, que mantém o pique da banda com precisão. Como você chegou a tais nomes e como eles, todos novos, estão lidando com a responsabilidade de compartilhar um retorno desta magnitude ao lado do maior guitarrista do Brasil?
RR: A banda está a cada show se entrosando mais, estar de novo junto com Lucky é muito prazeroso, pois traz a vibe da formação original de 1984. A Isa é minha amiga no facebook, daí eu fiz o convite e ela topou na hora. O Rob Khalil é meu filho, o Naciffe eu já tinha produzido uma banda que ele tocava e sempre pensei em chamar para tocar no Metalmania. Vejo que eles todos são muito profissionais e levam muito a sério o trabalho, tenho  a impressão que estão muito tranquilos, e temos um clima muito bom na banda.

3-Ao tocarem clássicos do Metalmania e covers de bandas consagradas esta formação liderada por você quase colocou o Sesc abaixo. Como mensurar esta resposta de um público parte saudosista  e parte conhecendo o novo?
RR: Tem sido uma maravilha tocar e ao mesmo tempo um desafio, pois praticamente somos desconhecidos para a nova geração, e temos um estilo Vintage Metal (kkkk), muito diferente das bandas atuais....veja bem, eu estava 30 anos fora do mercado, mas, quando sentimos a resposta positiva do público, é uma sensação de ´´waw! Ainda funciona!!!!´´.

4-O Metalmania tem planos para tour nacional e lançamento de material inédito?
RR: Estamos fazendo poucos shows, pois estamos só em lugares que nos dê uma boa condição de apresentar uma boa produção. Estamos sim gravando um remake do disco de 1984, pois, só existe em vinil e vamos rechear com músicas  que tocamos no show e nunca gravamos, como ´´Como um Animal´´, ´´Feiticeira´´ ´´Stupid Ballad´´ e outras. Algumas com versões em inglês. Em breve estará à venda.

5-Sua riqueza musical foi além dos palcos, e nossos leitores que já curtiram a música Revelação, do Fagner, por exemplo, e a estupenda antologia acústica no cd duplo do Zé Ramalho saborearam indiretamente seu trabalho, como músico no primeiro, e assinando a produção deste trabalho do Zé Ramalho, que abrangia toda uma obra (produziu também outros ícones da música brasileira).  Qual o nível de vivência e maturação musical que tais desafios requerem?
RR: Eu passei muito tempo trabalhando como sideman desses artistas e produzindo eles também, eles me escolheram porque eu conhecia profundamente o trabalho deles, confiam em mim e sabiam que eu poderia dar uma contribuição substancial no resultado final. Fiz esses trabalhos  como se fosse meu próprio trabalho, temos que fazer as coisas para os outros como se fosse para nós mesmos.
METALMANIA -FORMAÇÃO 2016
6- Em 1983, o disco ´´Ah! Robertinho do Mundo``  nos dava o primeiro contato com sua versão para Bachianas nro 05, de Villa Lobos, que você  regravaria posteriormente no estupendo Rapsódia Rock, um de seus discos mais aclamados pelo público e crítica. Você  avaliaria a possibilidade de reescrever a obra de algum autor clássico ou lançar um trabalho nos moldes do Rapsódia Rock?
RR: Bem, a minha ligação com a música clássica é por intermédio da música sacra, estudei teologia e toquei em igrejas, mosteiros e missas na minha adolescência, muito, ....talvez um disco da parte sacra do Bach ou Mendelssohn. Se bem que Villa Lobos seria uma boa idéia, obrigado pela sugestão, está anotada aqui comigo.

7-Ao fundar o Yahoo, nos anos 80, você frequentou todos os programas de auditórios da TV brasileira e o top das rádios do Brasil por anos. Não que isto não ocorreu em outros trabalhos, pelo contrário, e até citamos isto na matéria do blog sobre o Metalmania, mas a própria proposta do Yahoo ia de encontro a isto. Como você avalia o mainstream e que aprendizado é possível extrair de tal nível de exposição?
RR: Sabe o que aprendi e vi acontecer comigo e com todos os que exploraram essa super-exposição? O público se enjoa de você e começa a te odiar. Foi isso o que aconteceu com o Yahoo, eu na época cansei de chamar a atenção do departamento de divulgação da gravadora, eles nos mandavam para todos os programas de TV, até para alguns que trariam desgaste para nossa imagem, pois, não eram programas musicais.

8-Como músico e produtor, você  proporcionou momentos inesquecíveis ao enveredar na seara infantil, e quem conhece temas como O Elefante e A Onda certamente sente falta de um projeto ou produção de qualidade, que pudesse provocar saudades daqui a 20 ou 30 anos, como no seu caso. Musicalmente falando, e considere a indústria fonográfica neste contexto, é correto afirmar que há uma lacuna a ser preenchida?
RR: A lacuna existe, é correta a sua observação, hoje temos um problema sério de transição de formato de mídia, o formato CD está acabando, as lojas fecharam, os downloads são uma realidade e ninguém quer pagar por isso e acham que o áudio do CD é melhor. A indústria fonográfica está voltada atualmente à exploração do seu catálogo e sem muito interesse de lançar material inédito, porque realmente está muito difícil de emplacar uma música nova.

9-Robertinho de Recife, receba do ColoradoHeavyMetal e de sua legião de fãs espalhadas pelo Brasil e pelo mundo um MUITO OBRIGADO por sua consagrada trajetória e por elevar e levar musicalmente o nome da música brasileira mundo afora. Deixamos este espaço para suas considerações finais:

RR: Eu agradeço a ColoradoHeavyMetal, foi um prazer responder essas perguntas tão oportunas e inteligentes, estarei sempre à disposição e espero todos os fãs em show da Metalmania na sua cidade; HEY HEY É A METALMANIA!!!!!!!

Por Marcão Azevedo

Equipe Colorado Heavy Metal - Desde 2013 fazendo a diferença!

5 comentários:

  1. Todo meu respeito ao Robertinho, grande músico, metalmania foi um marco pra mim, parabéns ao blog pela sacada, hail vida longa todos.

    ResponderExcluir
  2. Grande entrevista com essa lenda do rock Brasileiro! Uma chance para rever a obra deste grande musico... Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns aos co-irmãos . Robertinho do Recife é um cara que merece muito mais sempre.
    Sites como os nossos que levam informação da produção feita aqui no Brasil são importantes para difundir e apresentar talentos aos mais jovens. Grande abraço à Colorado Heavy Metal.
    Clauber Vermelho www.stockrockradio.com.br

    ResponderExcluir
  5. Parabéns!!
    O mestre em video 4 entrevistas. Basta procurar Matéria On Air.
    https://www.youtube.com/watch?v=0f35SZMGaLw

    ResponderExcluir